NextRiot

Por quê os Elementos React possuem uma propriedade $$typeof

December 3, 2018 • ☕️ 6 min read

Podemos achar que estamos escrevendo JSX:

<marquee bgcolor="#ffa7c4">hi</marquee>

Mas na verdade, estamos chamando uma função:

React.createElement(
  /* type */ 'marquee',
  /* props */ { bgcolor: '#ffa7c4' },
  /* children */ 'hi'
)

E essa função retorna um objeto. Nós chamamos esse objeto de elemento React. Ele diz ao React o que renderizar a seguir. Seus componentes retornam uma árvore deles.

{
  type: 'marquee',
  props: {
    bgcolor: '#ffa7c4',
    children: 'hi',
  },
  key: null,
  ref: null,
  $$typeof: Symbol.for('react.element'), // 🧐 O que é isso}

Se você já utilizou o React, deve estar familiarizado com as propriedades type, props, key, e ref. Mas o que é $$typeof? E por que ele tem um Symbol() como valor?

Essa é mais uma daquelas coisas que você não precisa saber para usar o React, mas que o irá fazer se sentir bem ao aprender. Também há algumas dicas sobre segurança nesse artigo que você possa querer saber. Talvez um dia você irá criar sua própria biblioteca de UI e tudo isso irá ser útil. Eu espero sinceramente que sim.


Antes das bibliotecas de UI se tornarem comuns e adicionarem proteção básica, era comum uma aplicação construir HTML e inserir ele no DOM:

const messageEl = document.getElementById('message');
messageEl.innerHTML = '<p>' + message.text + '</p>';

Isso funciona bem, exceto quando seu message.text é algo como '<img src onerror="roubarSuaSenha()">'. Você não quer que coisas escritas por estranhos apareçam literalmente no HTML renderizado pela sua aplicação.

(Curiosidade: se você apenas fizer renderização no cliente, uma tag <script> não iria permitir que o código JavaScript fosse executado. Mas não deixe que isso te leve a ter uma falsa sensação de segurança.)

Para proteger de tais ataques, você pode usar APIs seguras como document.createTextNode() ou textContent que apenas trabalham com texto. Você também pode preventivamente substituir caracteres potencialmente perigosos como <, > e outros em qualquer texto que seja fornecido pelos usuários.

Ainda assim, o custo de um erro é grande e é complicado lembrarmos disso toda vez que precisamos trabalhar com um texto escrito pelo usuário ao renderizar algo. Esse é o motivo em que bibliotecas modernas como o React fazem essa sanitização em textos por padrão:

<p>
  {message.text}
</p>

Se message.text é um texto malicioso com uma <img> ou alguma outra tag, ele não irá se tornar uma tag <img> real. O React irá sanitizar o conteúdo e depois inserir ele no DOM. Então ao invés de ver a tag <img> você verá apenas a sua markup.

Para renderizar HTML puro dentro de um elemento React, você deve escrever dangerouslySetInnerHTML={{ __html: message.text }}. O fato disso ser complicado de se digitar é uma feature. É algo feito para ser facilmente visível em revisões de código e em auditorias em base de códigos.


Isso quer dizer que o React é totalmente seguro contra ataques de injeção? Não. O HTML e o DOM podem ser alvos de diversos tipos de ataques que são difíceis demais ou muito lentos para que o React ou outras bibliotecas de UI possam mitigar contra. A maioria dos outros tipos de ataque envolvem atributos. Por exemplo, se você renderizar <a href={user.website}>, cuidado com o website do usuário que pode ser 'javascript: roubarSuaSenha()'. Fazer spread (spread operator) de dados inseridos pelo usuário como <div {...userData}> é algo raro mas também perigoso.

O React pode providenciar mais proteção ao passar do tempo, mas na maioria das vezes isso é consequência de problemas do servidor que deveriam ser corrigidos lá de toda forma.

Ainda assim, sanitizar conteúdo de texto é uma primeira linha de defesa razoável que pode capturar muitos ataques potenciais. Não é legal saber que um código assim é seguro?

// Sanitizado automaticamente
<p>
  {message.text}
</p>

Bom, isso não é sempre verdade também. E é aí onde o $$typeof entra.


Elementos React são objetos simples:

{
  type: 'marquee',
  props: {
    bgcolor: '#ffa7c4',
    children: 'hi',
  },
  key: null,
  ref: null,
  $$typeof: Symbol.for('react.element'),
}

Enquanto você normalmente cria eles com React.createElement(), isso não é obrigatório. Há casos de uso válido para que o React consiga trabalhar com objetos de elementos escritos como eu fiz acima. Claro, você provavelmente não quer escrever eles assim - mas isso pode ser útil para um compilador de otimização, passando elementos UI entre workers, ou para desacoplar JSX do React.

Contudo, se seu servidor tem uma falha que deixa o usuário armazenar um objeto JSON arbitrário quando o código no cliente espera por uma string, isso pode se tornar um problema:

// Servidor pode ter uma falha que deixa o usuário armazenar um JSON
let expectedTextButGotJSON = {  type: 'div',  props: {    dangerouslySetInnerHTML: {      __html: '/* coloque o código malicioso aqui */'    },  },  // ...};let message = { text: expectedTextButGotJSON };

// Perigoso na React 0.13
<p>
  {message.text}</p>

Nesse caso, o React 0.13 seria vulnerável a um ataque XSS. Para explicar melhor, novamente, esse ataque depende de uma falha existente no servidor. Ainda assim, o React poderia fazer um trabalho melhor de proteger as pessoas contra isso. E a partir do React 0.14, ele faz.

A correção no React 0.14 foi rotular todo elemento React com um Symbol:

{
  type: 'marquee',
  props: {
    bgcolor: '#ffa7c4',
    children: 'hi',
  },
  key: null,
  ref: null,
  $$typeof: Symbol.for('react.element'),}

Isso funciona porque não há como colocar um Symbol em um JSON. **Então mesmo que o servidor tenha uma falha de segurança e retorne um JSON ao invés de um texto, esse JSON não teria um Symbol.for('react.element'). **O React irá checar element.$$typeof, e irá recusar a processar o elemento caso não possua a proprieade ou ela seja inválida.

O que torna o uso do Symbol.for() tão legal especificamente é que Symbols são globais entre ambientes como iframes e workers. Portanto essa correção não impede a passagem de elementos confiáveis entre diferentes partes da aplicação, mesmo em condições mais exóticas. Similarmente, mesmo que tenha múltiplas cópias do React na página, elas podem ainda “concordar” em um valor válido da propriedade $$typeof.


E os navegadores que não têm suporte para Symbols?

Infelizmente, eles não ganham essa proteção extra. O React ainda assim inclui a propriedade $$typeof no elemento para manter a consistência, mas é atribuída um número a ela0xeac7.

Por quê esse número especificamente? 0xeac7 parece um pouco com “React”.